Top

Previsões para a segurança em 2018

Recentemente a Watchguard lançou uma previsão de onde podem se concentrar os ataques dos hackers nas empresas. Explorando vulnerabilidades em diversas frentes, estamos divulgando o estudo para que você encontre a melhor solução para se proteger de possíveis ameaças. Confira abaixo quais foram as previsões para 2018:

1 – Quebra do Cryptocurrency
A cryptocurrency é uma moeda virtual sem manipulação dos bancos controlados pelo governo. E qual é a maior diferença para o dinheiro que conhecemos?

Quando temos o dinheiro em papel é o governo que decide quando e como vai ser a impressão e distribuição desses valores. Já a cryptocurrency é uma operação feita entre pessoa e pessoa da mesma rede.

São utilizadas para facilitar o processo de transações em rede, pois são protegidas por criptografia. Todas essas transações são transparentes e registradas e compõem a blockchain.

Além disso são totalmente descentralizadas, a moeda pode ser facilmente transferida entre países com a facilidade de uma troca de e-mails e funciona como uma moeda global.

E qual é o perigo da sua utilização? Com os ataques massivos de malwares à empresas, é possível que em 2018 os hackers encontrem uma vulnerabilidade severa o bastante para destruir a cryptocurrency. Só em 2017 milhares de dólares foram roubados com essa tecnologia.

2 – Hackear Wi-Fi
Atualmente o Wi-fi é um meio muito comum para ataques de hackers. Até iniciantes na área conseguem hackear wi-fi, mas a rede não é o único alvo. Em 2018 são esperados ataques em softwares que utilizam tecnologia de rádio para desbloquear novas formas de interceptar e decodificar protocolos como zigbee, sigfox, LoRa entre outros. Rádio definido por software conhecidos como (SDR) utilizam tecnologias que permitem que o dispositivo fale e ouça em alcance maior que as ondas de wi-fi.

A tecnologia SDR já está sendo utilizada. Desde abrir portas de carros de luxo a enviar sinais de GPS, este é apenas o começo. O Wireless é utilizado nos mais diversos dispositivos seja relógios, geladeiras, até sistemas de alarmes.

Com o aumento dos ataques em 2018, é esperado que os hackers decodifiquem muitos protocolos wireless, além somente do wi-fi e a sua empresa precisa estar preparada.

3 – Aumento da adoção do seguro cibernético corporativo
Comparado a mensagens de spam que tem uma taxa de sucesso de menos de 1%, estudos mostram que ao menos 1/3 das vítimas de ransomware pagam, isso faz com que os valores dos sequestros aumentem, resultando em menor taxa de pagamento. Para recobrar os pagantes, os autores de ransomware vão mirar em empresas que são mais propensas a pagar.

Infelizmente, seguradoras pagam o resgate caso a situação demande. Como resultado, os criminosos podem invadir essas seguradoras para descobrir quem tem o seguro contra extorsão. Com as informações, direcionarão os ataques diretamente à essas empresas.

Apesar disso, ainda é esperado que as empresas adotem o seguro de segurança cibernética, incluindo pacotes adicionais de extorsão. Isso não é – nem deve ser – um substitutivo para outras medidas de segurança.

4 – Botnets de IoT forçarão novas regulamentações
Hackers irão fortificar e melhorar botnets conforme os ataques continuarem bem sucedidos, os danos causados também aumentarão severamente. Esse ciclo irá continuar até que a indústria de IoT seja incentivada ou forçada adicionar protocolos de segurança mais fortes aos seus produtos. Será que é necessário que haja um grande incidente de hack em IoT para que os governos deem um passo e enderecem a segurança da IoT.

Para possibilitar que as novas regulamentações sejam estabelecidas, você pode incluir novas camadas de redes adicionais aos seus dispositivos IoT. Administradores devem segmentar esses dispositivos em uma subrede dedicada de IoT com serviços que possam preveni-los.

5 – Ataques a Linux irão dobrar
Os ataques ao Linux devem aumentar, em parte movidos por dispositivos IoT baratos que são comumente liberados com padrões muito inseguros. Por exemplo, os malwares de Linux correspondem a 36% dos maiores ataques de 2017. Administradores devem proteger mais os seus sistemas Linux e até que os dispositivos IoT fiquem mais seguros, é importante usar firewalls ou unified threat managment (UTM) para segmentar e proteger sua rede IoT.

6 – Autenticação Multifator
2018 será o ano da facilidade de autenticação multifator para pequenas e médias empresas. De acordo com pesquisas recentes, 81% das brechas relacionadas a hacking são de credenciais fracas. Senhas fáceis mostram que os usuários acham melhores práticas para senhas muito difíceis, mas a autenticação de multifator torna as senhas fracas ou roubadas inúteis sozinhas, já que são necessários pelo menos 2 fatores de autenticação do usuário.

Infelizmente as soluções de autenticação de multifator permanecem fora de alcance para pequenas e medias empresas devido aos custos e complexidade de implantação e gerenciamento. Contudo o crescimento de SaaS e smartphones introduz novas soluções que são mais baratas e fácil o suficiente para qualquer pequeno negócio.

É esperado que em 2018 muitas pequenas empresas adotem essas soluções.

Fonte: Watchguard

Jéssica Ueno

Jornalista e especialista em comunicação corporativa, com experiência em projetos internacionais, comunicação integrada e relacionamento B2B e B2C.

Sem comentários

Desculpe, não é possível comentar nesse post.

Informações por e-mail
Preencha o formulário abaixo e aguarde que nossos especialistas entrarão em contato:
Os campos marcados com um * são obrigatórios
Ligamos para você
Informe seus dados de contato, escolha uma data e um de nossos especialistas ligará para você.
Os campos marcados com um * são obrigatórios
})(jQuery)